O Governo Federal reconheceu o Tocantins como área livre de febre aftosa sem vacinação.  O decreto está na  Portaria nº 665 do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), publicada no Diário Oficial da União (DOU). A normativa passa a valer a partir de 2 de maio.

Segundo o Governo do Tocantins, o estado conta com mais de 11,5 milhões de bovinos e bubalinos distribuídos em cerca de 100 mil propriedades rurais.

Além do Tocantins, receberam o reconhecimento os estados do Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rio de Janeiro, Roraima, São Paulo e Sergipe, bem como o Distrito Federal.

A portaria proíbe ainda o armazenamento, a comercialização e o uso de vacinas contra a febre aftosa nessas unidades da Federação e, também, restringe a movimentação de animais e de produtos desses locais para as demais áreas que ainda praticam a vacinação no país. 

"O Tocantins foi autorizado a retirar a vacinação contra a febre aftosa a partir de 2023. Desse período até o momento, foram realizadas diversas auditorias de segmento com o Mapa; vigilâncias ativas nas propriedades rurais; incentivo a declaração de informações pecuárias e orientações de forma continuada aos produtores rurais e empresários. Além disso, está em andamento um estudo soroepidemiológico para comprovar a ausência de circulação viral", divulgou o governo do estado.

O próximo passo, segundo o Governo do Tocantins, é receber o reconhecimento internacional da Organização Mundial de Saúde Animal (Omsa) como livre de febre aftosa sem vacinação.