Os três suspeitos que foram presos na manhã deste domingo (24) em operação da Polícia Federal, por envolvimento no caso Marielle Franco, serão enviados para um presídio federal de Brasília.

A expectativa é que o deputado federal Chiquinho Brazão (União Brasil-RJ), o conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Rio Domingos Brazão e o delegado Rivaldo Barbosa, ex-chefe da Polícia Civil no Rio passem a noite presos na capital federal.

Os três presos na manhã deste domingo foram inicialmente encaminhados à Polícia Federal no Rio. Eles têm previsão de chegada a Brasília no fim da tarde.

Ainda não há definição se eles serão separados e para qual unidade prisional serão encaminhados. No entanto, está definido que serão levados para um presídio federal --ou mais de um.

Na manhã deste domingo, a Polícia Federal realizou a operação Murder Inc. e prendeu três suspeitos de mandar assassinar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, além da tentativa de matar a assessora Além dos mandados de prisão, a polícia cumpre 12 mandados de busca e apreensão expedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal), todos no Rio.

A operação é realizada no domingo para surpreender os suspeitos, de acordo com as primeiras informações. Há a suspeita de que eles tentariam fugir.

A ação conta ainda com o apoio da Secretaria de Estado de Polícia Civil do Rio de Janeiro e da Secretaria Nacional de Políticas Penais, do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Também neste domingo, o presidente da União Brasil, Antonio Rueda, informou que vai pedir a abertura de processo para a expulsão do deputado Chiquinho Brazão, após a sua prisão. O partido vai se reunir na próxima terça-feira (26) para tomar uma decisão sobre o futuro do parlamentar.