A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul investiga as causas da morte de uma sucuri de grande porte, encontrada às margens do rio Formoso, ponto turístico de Bonito (MS), neste domingo (24).

A Polícia Militar Ambiental disse que a cobra, de aproximadamente 6,3 m, foi localizada em estágio avançado de decomposição.

Os policiais ambientais foram enviados ao local nesta segunda (25), depois que a corporação recebeu diversas ligações após uma publicação nas redes sociais que denunciava a morte do animal.

Leia também: 

Cachorro é resgatado após ser baleado e passar dias na rua com ferimento grave
Governo decreta ponto facultativo nesta quinta-feira, véspera do feriado da Paixão de Cristo

A postagem foi feita pelo documentarista Cristian Dimitrius, que filma cobras na região há dez anos. Ele a batizou de Anajulia.

"Ela foi encontrada morta pelos guias que fazem o passeio no local, próximo à localidade conhecida como cachoeira do postal. Eles a viram boiando, retiraram da água e fizeram fotos. Quando os registros chegaram para mim, eu reconheci as marcas como sendo da sucuri que eu acompanho todos esses anos", disse Dimitrius à Folha de S.Paulo.

Na publicação, o documentarista indicou a possibilidade de a sucuri ter sido morta a tiros. Mas a Polícia Militar Ambiental disse que não foi possível identificar se havia perfurações e que as causas da morte só serão atestadas após análise e investigação.

Dimitrius explica que identificou a cobra a partir das manchas que a espécie tem pelo corpo. "São marcas que elas possuem embaixo da boca e atrás dos olhos, que são como uma impressão digital", conta ele, que acionou a bióloga e pesquisadora Juliana Terra para ajudar no reconhecimento da cobra.

A especialista, que acompanhava Anajulia há oito anos em estudos, explica o papel da espécie para o equilíbrio do ecossistema.

As sucuris verdes, mais especificamente, as fêmeas são predadoras de topo de cadeia alimentar. Ou seja, podem controlar as populações de suas presas e ter uma grande influência ao longo de toda a teia alimentar onde elas estão inseridas, contribuindo para um ecossistema equilibrado e saudável", disse Terra.

"Essa sucuri encontrada morta era uma fêmea, adulta, saudável e apta a se reproduzir. Eu já registrei alguns eventos reprodutivos dela, e ela teria provavelmente mais muitos eventos reprodutivos para contribuir para a perpetuidade da espécie na região. É uma perda muito lastimável", afirmou a bióloga.

Terra disse ainda que a sucuri Anajulia representava um simbolismo para a região de Bonito. "Ela era muito emblemática. Todo mundo envolvido nos passeios turísticos local conhecia ela, os turistas sabiam da existência dela e muitos vinham querendo observar esse animal. Então, com esse contato com as pessoas, ela também contribuía para a desmistificação da espécie —o que é muito importante para a conservação", completou.

A cobra já foi protagonista de reportagens e documentários especiais da BBC e apareceu em diversos conteúdos digitais.

De acordo com o delegado Pedro Ramalho, o animal passará por perícia nesta terça-feira (26). "Se for comprovado que a morte foi provocada pelo ser humano, essa pessoa irá responder por crime contra a fauna", disse.

O comandante da Polícia Militar Ambiental, coronel José Carlos Rodrigues informou que depois da perícia, a sucuri será levada para Campo Grande (a 300 km de distância de Bonito) onde passará por um processo de embalsamamento, para preservar a aparência e características do animal.

"Ela passará a integrar o nosso acervo de animais taxidermizados (que consiste em montar ou reproduzir animais para exibição ou estudo) e fará parte das exposições da corporação", disse Rodrigues.