A advogada Bruna Hollanda, conselheira da Seccional da OAB Sergipe, utilizou as redes sociais por meio de vídeo para anunciar a sua renúncia ao cargo para o qual foi eleita em 2022. Ela diz que foi vítima de estupro por parte de um colega, também conselheiro, no mês de janeiro deste ano, mas até hoje não recebeu qualquer apoio institucional. 

Ele diz o seguinte: “Fui estuprada no dia 27 de janeiro por um colega conselheiro da OAB/SE, sócio do presidente, amigo pessoal do presidente, pessoa de quem tinha inteira confiança, colega de Conselho Seccional e amigo há mais de 8 anos”.

Ela diz, ainda, que a chapa foi eleita com uma composição de jovens advogados e advogadas e tinha por objetivo constituir uma nova gestão, comprometida com mudanças. “Esse foi o início do projeto no qual acreditei. Hoje finalizo minha participação profundamente decepcionada e indignada com a postura desrespeitosa, falaciosa, machista e perigosamente astuta. Sou mulher, advogada, sou mãe, fui violentada covardemente, sou vítima de estupro, fui dilacerada no corpo, na alma e socialmente. Irresignada, continuei calda e firme aguardando o acolhimento institucional que não tive até hoje”, finalizou.

Quer ter seu artigo ou crônica publicado no Jornal do Tocantins? Envie para o e-mail contato@jornaldotocantins.com.br