João de Deus, o médium goiano acusado de abusos sexuais, foi transportado para uma audiência, por mais de 100 quilômetros, dentro de um porta-malas de um veículo pequeno. Esse fato gerou reclamação do seu advogado, Alberto Toron, que questionou o tratamento desumano dispensado ao seu cliente. Em junho essa situação havia acontecido quando João de Deus foi transferido de um hospital em Goiânia…

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários