Para o juiz Guilherme Maines Caon, da 2ª Vara Federal de Carazinho (RS), um cenário de extrema vulnerabilidade humana não pode ser desconsiderado, razão pela qual concedeu a uma mãe o chamado auxílio-doença parental para que ela cuide da filha de quatro anos.
 
A ação foi proposta contra o INSS e a mãe afirma que a filha é portadora de tumor de Wilms, uma…

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários