O Tribunal do Júri condenou Alan Junnio Hélio Ferreira a 21 anos e 9 meses de prisão por ter matado Vitor Queiros Corrêa, que lhe devia quantia por drogas. Ele também acabou condenado por associação criminosa e corrupção de menores.

Conforme informações divulgadas pelo Ministério Público, no final da tarde desta quarta-feira (3), a tese apontada pelo órgão ministerial aponta que Alan Junnio matou Vitor Queiros "por motivo torpe e com uso de recurso que dificultou a defesa da vítima", em cobrança a uma dívida de drogas.

O crime, ocorrido em novembro de 2022, no município de Formoso do Araguaia, região sudoeste do Tocantins, contou ainda com a ajuda de três adolescentes. Por isso, respondeu também pelos crimes de associação criminosa e corrupção de menores, informou o MP.

Vitor Queiros foi morto ao ser atingido por tiros de uma arma de fogo, disparados por Alan Junnio.

Ao considerar a pena para o réu, o Tribunal do Júri levou em conta o agravante de Alan Junnio ser reincidente. 

"Tinha antecedentes criminais, com condenações transitadas em julgado por crime de tráfico privilegiado e pelo crime de tráfico e receptação", divulgou o órgão ministerial.