O Tribunal do Júri de Palmas decidiu na quinta-feira (21)  pela condenação de José Rodrigues Lopes a 21 anos, 10 meses e 15 dias de prisão em regime fechado pelo assassinato da esposa, Priscila Lopes Ferreira, de 32 anos. O julgamento ocorreu no Fórum de Palmas, e foi presidido pelo juiz Luciano Rostirolla.

O JTo não conseguiu contato com a defesa de José até a publicação desta reportagem.

Durante o julgamento foram ouvidas oito testemunhas, cinco de acusação e três de defesa. O réu passou por interrogatório e após a fase de debates entre acusação e defesa, o júri popular decidiu pela condenação.

Também foi fixado multa de indenização de danos morais no valor total de R$ 110 mil à família da vítima.

Sobre o crime

O crime ocorreu em 10 de março de 2023, no Jardim Aureny III, na região sul da capital. As investigações apontam que o crime teria sido motivado por uma crise de ciúmes do acusado.

Conforme denúncia, o José matou Priscila com pelo menos sete facadas em cima da cama onde dormiam. Depois do crime, ele deixou os filhos na casa de um conhecido e confessou ter matado a mulher. Em seguida, fugiu.

A vítima apresentava ferimentos no pescoço, rosto, olhos, costas e mãos, causados por facadas quando foi encontrada pela polícia.

Quatro dias depois, ele se apresentou a uma delegacia, mas como havia passado o prazo de flagrante, José foi liberado. Mas acabou preso novamente.