“Única coisa que consegui falar no dia foi ‘se Cristo me ajudar, eu vou fazer a mesma peregrinação que fazia antigamente’. Assim que eu disse isso, consegui sair das ferragens. Me aliviei a partir dali. Todo mundo que me via falava que eu não caminharia nunca mais”, diz Joaquim José Alves, encarregado de campo, 64 anos, que sofreu um grave acidente em 1994 e hoje está c...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários