Em uma cartolina amarela em formato de rosa, a advogada Maria Luzia Porto Maia escreveu o quanto sente saudades de seu irmão, que morreu há quatros anos.  “A saudade é grande. Mas eu sou católica e acredito que aqui na Terra ele esteve apenas de passagem e a vida não acaba após a morte. Isso é um conforto para a gente”.   A advogada faz parte dos mi...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários