A situação de uma ex-servidora que havia sido lotada no Hospital Regional de Augustinópolis entre julho de 2011 e janeiro de 2012 e não trabalhou nenhum dia virou uma Ação Civil Pública (ACP) ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE-TO), que alega dano ao erário e requer a devolução dos valores recebidos, já que não houve prestação de serviços. De acordo com o ...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários