O desmatamento irregular de 1.532 hectares em áreas de reserva legal localizadas nos municípios de Caseara e Lagoa da Confusão levou o Ministério Público Estadual (MPE-TO) a ajuizar duas ações cautelares contra o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e contra dois produtores agroindustriais responsáveis por quatro fazendas – duas em cada município. O desmat...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários