Dois homens foram apontados pela Polícia Civil como responsáveis pela morte do ajudante de pedreiro Divino de Oliveira Pereira, 46 anos, em Araguaína, no norte do Tocantins. Na época do crime, o corpo foi encontrado horas após os vizinhos escutarem barulhos que pensaram ser de bombinhas.

Divino de Oliveira foi surpreendido e morto com tiros e facadas enquanto estava dormindo. O crime foi no quintal de uma casa no setor Maracanã, no dia 7 de agosto de 2023. Segundo a polícia Civil, os suspeitos trabalhavam com a vítima.

O caso foi investigado pela 2ª Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP - Araguaína) e o inquérito concluído nesta segunda-feira (25).

Segundo o delegado Breno Eduardo Campos Alves, as investigações revelaram que dois homens, que trabalhavam com a Divino, suspeitaram que estariam tendo alguns pertences furtados por ele por isso e combinaram de matá-lo.

“Trata-se de uma investigação complexa, que envolve uma série de requisitos técnicos, que fizeram com que a 2ª DHPP conseguisse identificar e prender um dos envolvidos nesse crime bárbaro que foi cometido por mera suspeita de que a vítima estaria furtando itens dos autores, fato que sequer foi comprovado”, disse o delegado.

Um dos suspeitos foi preso no começo de março em Wanderlândia, após ser encontrado com uma arma de fogo. Ele não teve o nome divulgado e o g1 não conseguiu contato da defesa dele. O outro suspeito ainda está sendo procurado.

Com o fim da investigação, o caso foi enviado para a Justiça e Ministério Público. Os investigados foram indiciados por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e por utilização de meio que impossibilitou a defesa da vítima.