O trabalho de buscar a origem do petróleo para evitar que chegue às praias do Nordeste, como vem acontecendo desde o início de setembro, "é (como procurar) uma agulha no palheiro", segundo diretor de Assuntos Corporativos da Petrobras, Eberaldo de Almeida Neto. Ele acrescentou que a estatal e demais instituições que atuam para limitar o vazamento estão "partindo p...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários