O Diário Oficial do Estado trouxe na noite da última quarta-feira, 17, a exoneração do superintendente de operações e conservação da Agência Tocantinense de Obras (Ageto), Geraldo Pereira da Silva Filho. O gestor é investigado pela Polícia Civil pela suspeita de fraudes em um contrato de R$ 29 milhões para obras no Tocantins e ficou 10 dias preso, sendo solto no último f...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários