Ação de improbidade protocolada na quinta-feira, 6, pelo promotor Miguel Batista pede a condenação do ex-secretário de Saúde Marcos Musafir. O processo tem valor de causa de  R$ 540 mil referente à remuneração que o médico recebeu quando era secretário. 

Para o promotor, retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício se constitui ato de improbidade…

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários