Na audiência realizada na segunda-feira, em Novo Acordo, para oitiva das testemunhas no processo que irá julgar os réus acusados de tentar matar o prefeito de Novo Acordo, Elson Lino (MDB), o prefeito tentou emplacar como advogado pessoal para atuar como seu assistente de acusação, o procurador do Município, Wylkyson Gomes de Sousa.

A indicação, porém, não passou após manifestação…

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários