A Assembleia Legislativa encontrou uma forma de combater tanta notícia da existência de servidores fantasmas no Legislativo: regulamentou a jornada de trabalho - entre 30 e 40 horas semanais - com um sistema de controle de frequência dos comissionados em que o próprio servidor preenche uma ficha de frequência e ele mesmo atesta que cumpriu sua carga horária.

Medida saiu um ano após…

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários