Notícias

Relator rejeita tirar delações de julgamento Dilma-Temer

Caso sejam condenados, Dilma perderia os direitos políticos por um determinado período de tempo e Temer deixaria vaga a Presidência da República

Montagem/JoséCruz/AgênciaBrasil
Dilma Rousseff e Michel Temer

O relator do julgamento da chapa Dilma Rousseff e Michel Temer, ministro Herman Benjamin, rejeitou todas as questões preliminares apresentadas pela defesa na segunda sessão do caso nesta terça-feira (7). Com isso, o caso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverá incluirá a análise das delações premiadas feitas na Operação Lava Jato ao longo dos últimos meses e rejeitou a possibilidade de cerceamento de defesa dos acusados.

Todo o colegiado precisa votar sobre as preliminares, mas é consenso que eles seguirão a decisão do relator. A leitura do ministro começou por volta das 9h da manhã e foi finalizada pouco após às 13h. Além disso, os ministros, após o pedido do presidente do TSE, Gilmar Mendes, aprovaram a convocação de novas sessões para esta quinta-feira (8) para os debates. Eles também deixaram aberta a possibilidade do julgamento continuar tanto na sexta-feira (9) bem como no fim de semana.

Agora, o terceiro dia de debates ocorre a partir das 9h desta quinta, com a probabilidade de durar o dia inteiro. Considerado o maior julgamento já feito pelo TSE, os ministros vão analisar se cassam a chapa formada por Dilma e Temer nas eleições de 2014. Caso sejam condenados, Dilma perderia os direitos políticos por um determinado período de tempo - já que ela já foi afastada da Presidência - e Temer deixaria vaga a Presidência da República.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ