Notícias

Eleições 2018, presidenciáveis são citados na Lava Jato

Entre os possíveis candidatos estão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Aécio Neves, José Serra e Marina Silva

UESLEI MARCELINO
Lula: “A ganhar no primeiro turno por 51% a 49%, prefiro ganhar no segundo com 65% a 35%”

Considerados possíveis presidenciáveis para as eleições de 2018, -os "dezoitáveis"-, políticos são citados em escândalos que vão do petrolão a cartel de trens.

Possível candidato pelo PT, o ex-presidente Lula, por exemplo, é alvo de investigações sobre seu envolvimento com empreiteiras investigadas pela Lava Jato. Ele chegou a ser levado, por condução coercitiva, para depor na operação, em março.

Já Marina Silva, da Rede, que aparecia em primeiro lugar em pesquisa Datafolha de abril em cenário em que competia com Geraldo Alckmin (PSDB) e Lula, é apontada por um empreiteiro por supostamente ter recebido caixa dois em sua campanha de 2010, quando foi candidata à Presidência pelo PV.

E os tucanos Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckmin são citados na Lava Jato (no caso do primeiro) e também em esquemas estaduais, como o cartel dos trens de São Paulo.

NA BERLINDA

Confira o que pesa contra cada um dos "dezoitáveis"

LULA (PT)

Procuradoria-Geral da República pediu inquérito para apurar se sua nomeação como ministro de Dilma, em março, teve desvio de finalidade, para obstruir a Lava Jato.

Também foi denunciado sob suspeita de tentar interferir nas investigações e impedir a delação de Cerveró.

O ex-presidente foi denunciado em março por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica relacionadas à suposta compra de um tríplex em Guarujá, litoral de São Paulo.

Lula ainda é investigado por sua ligação com o sítio de Atibaia cujas obras foram pagas por empreiteiras investigadas na Lava Jato.

Há ainda suspeitas sobre repasses de R$ R$ 30,7 milhões feitos por empreiteiras ligadas à Lava Jato para sua empresa de palestras, a Lils.

MARINA SILVA (REDE)

Segundo Léo Pinheiro, da OAS, a porta-voz da Rede Sustentabilidade recebeu caixa dois da empreiteira para sua campanha em 2010.

Ainda de acordo com ele, o pedido teria sido feito para que a então candidata não tivesse seu nome associado à empreiteira.

AÉCIO NEVES (PSDB)

É investigado por possível recebimento de propina de Furnas.

Também é suspeito de maquiar dados do Banco Rural para esconder o mensalão tucano.

GERALDO ALCKMIN (PSDB)

Inquérito da Polícia Federal investiga suposta fraude em obra do trecho norte Rodoanel por empresa contratada por sua gestão.

O caso conhecido como 'cartel dos trens', de suposta fraude nas licitações metroferroviárias, ocorreu em sua gestão e a de José Serra (2001-2006).

JOSÉ SERRA (PSDB)

Aparece na planilha da empreiteira Odebrecht de supostos pagamentos de propina.

É alvo de ação que questiona ajuda financeira a bancos pela gestão FHC.

Cartel do trem também teria atuado em sua gestão no governo de São Paulo (2007-2010).

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ