A assinatura do Memorando de Cooperação entre Japão e Brasil, no campo da agricultura e alimentação, prevê a viabilização de investimentos dos asiáticos na região do Matopiba - que compreende os estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. O objetivo é promover o desenvolvimento de ações conjuntas de infraestrutura e logística na produção agrícola da região. O projeto contempla rodovias, ferrovias, portos e armazéns.

O termo foi assinado pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Kátia Abreu, e pelo embaixador japonês no Brasil, Kunio Umeda, durante o Seminário Diálogo Brasil-Japão: Intercâmbio Econômico e Comercial em Agricultura e Alimentos no Matopiba, que aconteceu ontem no Centro Universitário de Integração entre Ciência, Cultura e Arte (Cuíca) da Universidade Federal de Tocantins (UFT), em Palmas.

Durante o evento, a ministra entregou a Umeda uma Carta Convite para que empresas japonesas venham se instalar na região. Segundo Kátia, a assinatura abre grandes possibilidades para o investimento no Matopiba. “O acordo é uma autorização para as empresas virem investir no Brasil. O japonês tem valores enormes para investir”, avaliou.

Ainda de acordo com a ministra, o investimento dos japoneses nas áreas de infraestrutura e logística no Brasil é uma demanda já existente. “Somos uma fonte de alimento seguro e já temos várias empresas investindo na questão de ferrovias e hidrovias na nossa região, que tem grande potencialidade”, avaliou a ministra.

Kátia afirmou que o Matopiba já produz 57% de toda soja e milho do Brasil, mas, ainda na avaliação da ministra, o que falta para a região é a logística de escoação apropriada. A produção agropecuária da região cresceu 473% em 24 anos. “Só nos últimos três anos foram 49%, sendo que o Brasil apresentou um crescimento de 11%”, ponderou.

Parceria

Além do termo, também foi assinado pelos representantes dos estados que fazem parte do Matopiba, Marcelo Miranda (Tocantins), Flávio Dino (Maranhão), Wellington Dias (Piauí) e o vice-governador João Leão (Bahia), a Declaração Palmas. O documento firma parceria sobre um trabalho coordenado entre os quatro estados e o Mapa para a integração produtiva regional, o acesso conjunto ao mercado de ações de promoções e de investimentos, além de uma parceria estratégica no setor logístico.

Segundo Marcelo Miranda, esse é um momento histórico para a região e o Estado. “Somos a maior fronteira do mundo na produção e alimentos. Temos uma região privilegiada com recursos naturais e agora assinamos documentos que trazem novos fôlegos”, acrescenta.

Além disso, Miranda disse que um dos focos de debate com os empresários japoneses são as necessidades de investimentos em rodovias, ferrovias e hidrovias para o Estado. “Meu foco é na região do Jalapão e nos debates para as melhorias das pontes que temos.”

Também foram assinadas duas Frentes, a Estadual dos Deputados do Matopiba e a Municipalista dos Prefeitos do Matopiba, que vêm somar-se à já criada Frente Parlamentar do Matopiba, essa última oficializada no ano passado pela Câmara dos Deputados.