Nascido em São Carlos, no interior paulista, o humorista Ronald Golias tem sua vida contada em obra que será lançada em sua cidade de origem e na capital paulistana na próxima semana, quando ele completaria 86 anos. Ronald Golias, o Gigante do Humor, de Luís Carlos Barbano, traz depoimentos de amigos, familiares e figuras importantes que conviveram com um dos ícones do humor no Brasil.

 

Em 2015, faz dez anos que o humorista morreu vítima de infecção generalizada, aos 76 anos. O autor da biografia diz que a ideia surgiu após pensar que “São Carlos não fez por Golias o que Golias fez por São Carlos”. Também nascido na cidade, Barbano iniciou, então, em 2009, pesquisas sobre seu ídolo.

 

Em São Carlos, Golias dá nome a uma praça e a casa onde morou está sendo reformada e deve tornar-se memorial. Mas, para o autor, faltou à cidade dar mais importância ao filho ilustre. Ele pesquisou gravações antigas, programas de rádio e TV e outros meios. Falou ainda com várias pessoas. Tudo o que eles contaram, ajudou a enriquecer a história.

 

Golias iniciou a carreira nos anos 1940, em São Paulo, quando integrou um grupo de espetáculos aquáticos Acqua Loucos. Suas performances o levaram ao programa Calouros em Cena, da Rádio Cultura. Dali, foi para a Rádio Nacional, onde conheceu Manuel de Nóbrega. Foi dele o convite para participar do humorístico A Praça da Alegria, hoje chamada Praça É Nossa.

 

TV e cinema

José Ronald Golias recebeu este nome em homenagem ao ator Ronald Colman, ídolo de seu pai, Arlindo Golias. Além de Pacífico, o humorista criou personagens como Bronco, Bartolomeu e Profeta. E marcou em programas como Família Trapo, Praça É Nossa e Escolinha do Golias, além de ter participado de nove filmes, quase todos nos anos 1960.