Estado

“Professora foi afastada”, diz dono

Em nota, o proprietário da unidade, Carlos Roberto Bertoni, informou que a funcionária acusada de agredir crianças “já está afastada temporariamente da creche e, caso confirmadas as suas ações, será definitivamente desligada da instituição”.

O proprietário disse que ela sempre cumpriu “corretamente seus afazeres há vários anos, sempre com grande zelo e dedicação. Como pessoa, nunca nos deu qualquer motivo para desconfiarmos das suas atitudes”. Declarou ainda se tratar de um caso isolado e que já está sendo objeto de análise e apuração.

Não é a primeira vez que o berçário é alvo de denúncias. Em 2012, um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil depois que um pai denunciou que o filho teve o braço fraturado na unidade. “Esse processo de 2012 não teve fundamento, inclusive foi finalizado em um ou dois meses, logo que se iniciou. Naquela ocasião, a criança saiu daqui em perfeitas condições, ela foi entregue na mão do pai. Nós temos circuito de gravação interna que funcionava na ocasião, que nos permitiu ter essa informação. O fato ocorrido foi do estabelecimento nosso até a casa do pai”, afirmou.

Na página do berçário há ainda uma publicação, compartilhada pelo proprietário, que mostra uma situação preocupante: trabalho infantil. Quatro crianças pequenas com enxadas e cestos nas mãos. No texto compartilhado por ele, diz que “nem sempre o trabalho infantil destrói a infância”.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ