Estado

"Ele quase me matou dessa vez", disse professora da Capital ao advogado antes de ser morta

O médico foi preso dentro de um shopping no centro de Anápolis; o crime aconteceu no último dia 18 de dezembro

Arquivo pessoal
Médico Álvaro Ferreira da Silva é suspeito de matar a professora Danielle Christina

Em uma gravação divulgada pela Polícia Civil, a professora Danielle Christina pede socorro ao advogado dizendo que foi agredida novamente pelo companheiro, o médico Álvaro Ferreira Silva, principal suspeito .

"Ele quase me matou dessa vez. Então eu preciso que você me ajude agora. Ele pediu para eu falar: "meu amor volta para casa". Ele queria que eu escrevesse isso para ele", disse.

Dois advogados davam assitência à professora: Edson Monteiro de Oliveira Neto e Edson Ferreira de Alecrim. "O áudio foi para o Alecrim ainda no sábado, dia 16 de dezembro, porém só soube que ela pediu ajuda na segunda-feira, 18. Depois disso não tive mais contato com Danielle", falou Oliveira. 

Silva foi preso nesta quinta-feira, 11, em Anápolis (GO). A detenção foi realizada em uma operação conjunta entre a Polícia Civil do Tocantins, São Paulo e Goiás. 

“Estamos aguardando a autorização para o recambiamento dele para Palmas”, disse o titular da  Delegacia de Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Pedro Ivo Costa Miranda, responsável pelo caso. Conforme o delegado, ele pode ser trazido para a Capital ainda hoje.

O médico foi preso dentro de um shopping no centro de Anápolis. A informação é do titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da cidade, Vander Coelho. O crime aconteceu no último dia 18 de dezembro, quando o corpo da vítima foi encontrado dentro da casa dela na Quadra 1.004 Sul, na Capital. 

O JTo tentou contato com um dos advogados da professora, Alecrim e com a advogada do suspeito, Josefa Barbosa, porém ainda não obteve êxito. 

 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ