Esporte

Em último teste olímpico, Brasil vence Japão no Serra Dourada

Com gols de Gabigol e Marquinhos no primeiro tempo, seleção ganha da seleção japonesa diante de mais de 33 mil torcedores em Goiânia

Zuhair Mohamad
Gabigol comemora após marcar o primeiro gol da seleção brasileira

Com uma vitória por 2 a 0 sobre o Japão, o Brasil venceu o teste final de sua preparação para os Jogos Olímpicos do Rio, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, neste sábado (30). Em um estádio lotado, com mais de 33 mil pessoas, a seleção brasileira olímpica marcou com Gabigol e Marquinhos e bateu o rival em partida em que o goleiro Fernando Prass ficou fora. Ele segue como dúvida para a competição no Rio.

Com dois gols saíram no primeiro tempo. Mesmo com Neymar pouco participativo do jogo, principalmente na etapa final, o time do técnico Rogério Micale conseguiu dominar totalmente a partida e construiu a vitória com gols do atacante Gabriel e do zagueiro Marquinhos antes do intervalo.

Depois, no segundo tempo, a equipe brasileira caiu bastante de ritmo com as muitas substituições e permitiu aos japoneses equilibrarem o confronto, apesar de ter sido pouco ameaçada.

O jogo também foi marcado por um forte esquema de segurança, que incluiu até atiradores de elite. Pelo menos 300 policiais militares trabalham na segurança do jogo.

O amistoso contra o Japão foi o único antes da estreia da seleção nos Jogos Olímpicos. O jogo de abertura será contra a África do Sul, no dia 4, em Brasília, às 16h. Depois, o Brasil ainda enfrenta lraque e Dinamarca, que também estão no grupo do Brasil na primeira fase.

O JOGO

Depois de um começo com dificuldades na troca de passes e criação das jogadas, o Brasil melhorou o seu desempenho a partir dos 20 minutos e dominou totalmente o jogo até o intervalo.

Posicionada no 4-3-3, a seleção brasileira teve como principal característica a velocidade dos três atacantes (Neymar, pela esquerda, Gabriel Jesus, pela direita, e Gabriel, mais centralizado) e os bons avanços dos três meio-campistas (Thiago Maia, Rafinha e Felipe Anderson).

Com isso, o time brasileiro conseguiu abrir 2 a 0 no placar na etapa inicial, com Gabriel, aos 32min, e Marquinhos, de cabeça, aos 40min. E ainda poderia ter marcado mais.

O goleiro Nakamura fez ao menos duas importantes defesas. Já Neymar, de falta, e Thiago Maia, em chute de fora da área, chegaram a acertar a bola na trave adversária.

No segundo tempo, Rogério Micale promoveu as entradas de Renato Augusto e Luan, do Grêmio, nas vagas de Felipe Anderson e Rafinha. Assim, o Brasil continuou melhor no jogo, mas deixava mais espaços para o Japão contra-atacar.

Aos 8min, o goleiro Uilson, que substituiu Fernando Prass, evitou o primeiro gol japonês ao fazer bela defesa nos pés de Nakajima.

Depois, as duas seleções fizeram muitas substituições e, somado à falta de entrosamento, o jogo caiu muito de ritmo até o apito final.

Mesmo assim, Walace quase ampliou o placar em chute da entrada da área, na melhor chance brasileira no ataque.

FICHA TÉCNICA

BRASIL: Uilson; Zeca (William), Rodrigo Caio (Luan Garcia), Marquinhos e Douglas Santos; Rafinha Alcântara (Luan), Thiago Maia (Rodrigo Dourado) e Felipe Anderson (Renato Augusto); Neymar, Gabigol (Walace) e Gabriel Jesus. Técnico: Rogério Micale.


JAPÃO: Nakamura; Muroya (Kushibiki), Shiotani (Iwanami), Ueda (Tomiyasu) e Fujiharu (Kamekawa); Harakawa (Oshima), Endo, Nakajima (Ogawa), Yajima (Asano) e Minamino; Kohrogi (Ideguchi). Técnico: Makoto Teguramori.

Local: Estádio Serra Dourada.
Árbitro: Wilson Lamoroux Riveros (Fifa/COL).
Assistentes: Humberto Cravivo Prieto (Fifa/COL) e John Alexander León Sanchez (Fifa/COL).
Público: 32.517 pagantes. (33.458 presentes)
Renda: R$ 1.508.070,00.
Gols: Gabigol, aos 33’, e Marquinhos, aos 41’ do 1º tempo. 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ