Esporte

De olho no recomeço

Alisson Furtado foi reprovado no teste físico da CBF, no início de julho e agora terá nova chance

apito Juiz tocantinense Alisson Furtado realizará no dia 31 deste mês, em Brasília, um novo teste físico da CBF

Reprovado no teste físico do quadro Nacional de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), realizado no dia 3 de julho do último mês, Alisson Furtado treina forte em busca de retornar ao cenário nacional. É que no próximo dia 31 deste mês, o árbitro tocantinense se prepara para um novo teste em busca de reconquistar seu espaço. Furtado é natural de Lajes (SC), mas adotou Palmas, o Estado do Tocantins, como sua terra para viver com a família, desde 2012.

Em entrevista ao programa CBN Tocantins Esportes da última segunda-feira, ele explicou o motivo de não ter passado na avaliação física. Segundo ele, na data que realizou o teste não estava num bom dia e acabou sendo reprovado. “Infelizmente não obtive êxito na avaliação ficando fora das escalas até novo teste físico”, comentou Furtado dizendo que foi a primeira vez que sofreu este revés na carreira, mas ciente que agora não pode errar mais, tanto que está treinando duas vezes por dia.

O teste teve como objetivo avaliar fisicamente o quadro de árbitros e formar parte do calendário das avaliações físicas mantenedoras da Seleção Nacional dos Árbitros de Futebol da CBF.

Exigência

Furtado disse que a exigência é muito grande para se manter apitando no Brasileiro, pois um árbitro corre durante os 90 minutos de partida entre dez a 12 km por jogo. Ele ressalta ainda que o teste físico que é realizado numa pista oficial, no caso da UFT de Palmas, que possui 400 metros, o juiz precisa realizar 40 tiros ininterruptos (repetitivos), na pista que é dividida em quatro espaços de 75 metros com 25 metros de escape (descanso). Cada árbitro precisa fazer os 75 metros no máximo de 15 segundos e o descanso de 25 metros ele retoma após 18 segundos mais 40 vezes. “Tem que estar muito bem preparado senão fica fora mesmo” disse ele.

Um árbitro do quadro da Fifa ganha R$ 4 mil em uma partida de Série A do Brasileirão. Nas séries B, C e D, o valor é de R$ 3.150, R$ 2.350 e R$ 2.200 por jogo, respectivamente. Os árbitros da CBF ganham R$ 2.900 num jogo de Série A e R$ 1.000 na Série D.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ