Esporte

Coritiba vence Chapecoense e quebra jejum em casa no Brasileirão

A Chape, que tinha empatado sem gols com o Bahia em casa, na rodada anterior, continua com 22 pontos, mais perto da zona do rebaixamento, em situação preocupante

Divulgação/Coritiba
Alecsandro saiu fazendo careta em homenagem ao seu pai, o ex-atacante Lela, que participou da campanha do título nacional de 1985

O Coritiba fechou o primeiro turno do Campeonato Brasileiro selando a paz com sua torcida ao vencer a Chapecoense por 2 a 0, neste domingo, no Couto Pereira. Rompeu a série negativa em casa, onde não vencia há seis rodadas, com três empates e três derrotas, além de emendar a segunda vitória seguida, porque no meio de semana tinha superado o São Paulo, por 2 a 1, no Morumbi.

Estas duas vitórias empurram o time paranaense para uma posição intermediária da tabela, com 25 pontos. A Chapecoense, que tinha empatado sem gols com o Bahia em casa, na rodada anterior, continua com 22 pontos, mais perto da zona do rebaixamento, em situação preocupante.

Disposto a voltar a ganhar dentro de casa, o Coritiba começou tentando tomar as iniciativas ofensivas. Mas seu meio-campo estava muito disperso, errando passes e não chegando com perigo na frente. Mas sempre com mais disposição, diante de um adversário muito atrás e sem alternativa até mesmo para o contra-ataque.

Mesmo sem finalizar, o Coritiba abriu o placar aos 21 minutos. O lance começou numa falta cobrada por Thiago Carleto no lado direito. Ele levantou na grande área, onde Alecsandro apareceu entre três zagueiros e deu um leve toque de cabeça para as redes. A defesa reclamou impedimento, em um lance muito difícil.

Na comemoração, ele saiu fazendo careta em homenagem ao seu pai, o ex-atacante Lela, que participou da campanha do título nacional de 1985. O camisa 85 festejou muito com a torcida em tarde de estreia do novo uniforme, todo verde oliva, em homenagem ao exército brasileiro. Uma escola militar funcionou no antigo estádio do clube.

A Chapecoense continuava sem mostrar força e ainda cometia erros de passes. Em um deles, a bola foi recuperada rapidamente por Rildo que a carregou até a entrada da área e soltou a bomba no canto esquerdo de Jandrei, fazendo 2 a 0 aos 43 minutos.

O time catarinense precisava sair para o jogo. Foi o que aconteceu no segundo tempo, quando o meia equatoriano Pinella entrou no lugar do volante Luiz Antonio. Teve uma boa chance logo aos dois minutos, quando Wilson tentou cortar um cruzamento e a bola caiu na cabeça de Pinella. A bola ia em direção ao gol, mas foi aliviada pelo zagueiro Márcio.

Ainda na pressão, a Chapecoense teve outra boa chance aos 11 minutos, quando Arthur entrou na área pelo lado direito e bateu forte. O goleiro Wilson rebateu com os pés para escanteio.

Depois disso, o Coritiba se adiantou um pouco, passou a tocar a bola para segurar o resultado. Nem tentou atacar, mesmo porque o goleiro Jandrei não fez nenhuma defesa. A vitória já estava garantida.

O Coritiba agora tem uma semana de descanso antes do início do segundo turno do Campeonato Brasileiro. No próximo sábado, vai enfrentar o lanterna Atlético-GO, fora de casa. A Chapecoense só volta a campo pelo Brasileirão em 20 de agosto contra o Palmeiras, em São Paulo. Nesta segunda-feira faz um amistoso contra o Barcelona, na Espanha.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA 2 X 0 CHAPECOENSE

CORITIBA - Wilson; Léo, Márcio, Luizão e William Matheus; Jonas, Alan Santos e Matheus Galdezani (João Paulo); Rildo (Filigrana), Henrique Almeida e Thiago Carleto (Neto Berola). Técnico: Marcelo Oliveira.

CORITIBA - Jandrei; Diego Renan, Douglas Grolli, Fabrício Bruno e Roberto; Andrei Girotto, Lucas Marques, Luiz Antonio (Penilla) e Seijas (Guerrero); Júlio César (Túlio de Melo) e Arthur. Técnico: Vinícius Eutrópio.

GOLS - Alecsandro, aos 21, e Rildo, aos 43 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (GO)

RENDA - R$ 225.350.

PÚBLICO - 12.871 pagantes

LOCAL - Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR).
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ