Os prestadores de serviço do Plano de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins  (Plansaúde) suspenderam os serviços de atendimento, a partir desta terça-feira, 2.

De acordo com a ata da assembleia geral do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Tocantins (Sindessto), os prestadores decidiram por unanimidade suspender os atendimentos devido aos atrasos constantes dos pagamentos, bem como as glosas dos atendimentos feitas indiscriminadamente e sem nenhum parâmetro e oportunidade de recurso.

Também segundo o documento, os atendimentos de urgência e emergência e ainda os que foram agendados até esta terça-feira serão mantidos.

 “A auditoria já foi feita para comprovar que o paciente realmente utilizou o pagamento. Por outro lado, esse atraso está colocando as empresas em desequilíbrio econômico financeiro”, menciona a presidente do Sindessto, Maria Lúcia Machado de Castro.

Maria Lúcia ainda diz que os prestadores de servidores do Plansaúde estão há sete meses sem receber. “Os servidores não têm condições de trabalhar desta forma, uma vez que, o acordo do Estado não está sendo cumprido. E até hoje, mesmo o governo não pagando, os usuários continuavam sendo atendidos”, frisa a presidente.

Plansaúde

Em nota, a diretoria do Plansaúde informa que realizou uma força-tarefa para sanar os compromissos estabelecidos com seus prestadores de serviços. O plano também garantiu que está realizando um cronograma contínuo de pagamento de notas, o último, segundo ele, foi realizado na última sexta-feira, 28, e na segunda-feira, 1°.

“Destacamos que a equipe Plansaúde tem procurado os credenciados para ouvi-los e negociar possíveis glosas e passivos. Reforçamos aos usuários e prestadores que o Plano vem passando por um processo de modernização e melhorias, inclusive com a entrada de uma nova administradora e de um novo diretor que tem buscado manter uma porta de diálogo contínuo entre o Plansaúde e seus credenciados”, diz. 

O plano ainda ressalta que reuniões com prestadores de serviço estão sendo realizadas em todo o Estado, além de levantamentos sobre os problemas existentes.

Sobre a paralisação de serviços hospitalares em Palmas, a diretoria do Plansaúde afirma que não recebeu registro nenhuma reclamação de usuários quanto à falta de atendimento.

A nota ainda destaca que negativas de atendimento podem ser informadas ao Plansaúde por meio dos telefones 0800 042 0382 ou (63) 2104-1427, para que a equipe do plano busque solucionar a demanda.

Apesar das justificativas, anota não informou que o valor do débito com o Plansaúde.

O Jornal do Tocantins esteve na sede do Plansaúde na Capital e o atendimento, que envolve marcação de exames e cirurgias, acontecia normalmente.