'Eu nunca fui aquele que fiquei em cima do muro falando mal do carnaval", afirma padre

"Às vezes quem está na Marquês da Sapucaí é melhor do que alguém que está na minha sacristia", Fábio de Melo

Em torno de 40 mil pessoas lotam arena do Capital da Fé

Com uma mensagem de reflexão sobre espiritualidade e amor próprio e ao próximo, o padre Fábio de Melo, que participa pela terceira vez do “Palmas Capital de Fé”, animou os fiéis com músicas que consagraram sua trajetória religiosa e artística durante todo tempo que evangeliza junto à igreja Católica.

Em entrevista à imprensa o padre disse, em referência ao carnaval tradicional, que tem muito respeito pela alegria das pessoas e que não é digno de julgar a cultura dos outros. "Eu tenho muito medo de julgar o que faz alegre uma pessoa. Eu nunca fui aquele que fiquei em cima do muro falando mal do carnaval. Pra mim o lugar é outro. É reconhecer que o carnaval faz parte da nossa cultura. Quem sou para julgar a alegria dos outros? Às vezes quem está na Márquez da Sapucaí é melhor do que alguém que está na minha sacristia. A bondade vai acontecer onde estiverem pessoas promovendo essa bondade. Então essa alegria deve ser respeitada ", declara.

O padre que já gravou 20 discos, cinco DVDs e 13 livros também falou sobre a campanha da fraternidade deste ano que traz como tema "Fraternidade e Superação da Violência", tendo como lema "Em Cristo Somos todos irmãos". Ele enfatiza que o assunto foi escolhido neste ano porque a temática é uma consequência natural da sociedade contemporânea.

“Uma vez eu escutei um grande cientista político dizendo que quanto mais o povo está informado maior é o número de incidência de violência na sociedade. E ele tem razão, hoje nós temos acesso a informações que nós revoltam muito. Algumas pessoas sabem lidar com essa revolta, com iniciativa que transformam o mundo e outras não, acabam caindo naquilo que a gente mais tem de primitivo. A gente vê violência em todos os níveis e em todas as dimensões da sociedade. Às vezes são físicas, morais, afetivas. Então eu acredito que trazer essa questão hoje nos faz pensar sobre a necessidade que nós temos de retomar os valores que nos pacificam

 O arcebispo de Palmas, Dom Pedro Brito, ressaltou que o Palmas Capital da Fé, que reuniu nesta noite aproximadamente 40 mil pessoas, é uma oportunidade de mobilização da sociedade para falar da vida cristã e da evangelização. "Uma verdadeira catequese a céu aberto. É uma evangelização na rua. É uma oportunidade para quem quer ouvir a palavra de Deus. Estamos precisando muito disso, sair do nosso eu e se abrir pra conviver com o próximo e valorizar a diversidade e dá ás mãos uns aos outros”, frisa.

O Palmas Carnaval da Fé, que está sendo realizado desde o último sábado, também teve apresentações de grandes nomes da música católica como o padre Antônio Maria, Banda Dominus e Anjos de Resgate . O evento tem como proposta proporcionar atrações religiosas. Neste ano a programação será finalizada, na quarta-feira, com o shoe da cantora evangélica Bruna Carla. 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ASSINE JÁ