Enquanto no Brasil a pandemia é tratada com desdém por alguns, vira motivo de briga política para outros e ainda não se sabe ao certo quando começa a vacinação contra a covid-19, a fisioterapeuta tocantinense Mônica Damasceno de Freitas, 34 anos, não escondeu a emoção e um certo alívio ao tomar a primeira dose da vacina Pfeizer no último dia 16, no Texas Children’s H...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar o Jornal do Tocantins

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários