Tendo como argumentos o respeito ao direito ao nome, ao reconhecimento da personalidade jurídica e à liberdade pessoal, bem como honra e dignidade, o Conselho Nacional de Justiça regulamentou, por meio do Provimento N° 73, a alteração de prenome e gênero de pessoas transexuais por vias administrativas, ou seja, sem necessidade de decisão judicial. Após essa medida publicada e...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários