O desfalque de profissionais e a falta de 39 tipos de medicamentos, além de insumos na Unidade de Pronto Atendimento Norte da capital foram constatados durante uma vistoria realizada pelo promotor de justiça Thiago Ribeiro Franco Vilela, titular da 19ª Promotoria de Justiça da capital, no local.

De acordo com o Ministério Público, no dia da vistoria, todos os antibióticos estavam em falta, com relatos de casos de pacientes com crise de asma com o tratamento prejudicado por falta de medicamentos.

A ausência de remédios prejudica pacientes hemorrágicos que são atendidos na unidade e pessoas que sofrem de outras doenças, a exemplo daqueles em tratamento de asma.

 Desfalque de profissionais

Segundo o órgão ministerial, a promotoria também constatou o quadro reduzido de técnicos em enfermagem. Para que a escala da área esteja completa, são necessários 126 profissionais, porém, no momento, há apenas 101.

Conforme os relatos apontados pelo MP, o desfalque maior é no plantão noturno, havendo plantões em que profissionais atuam simultaneamente em três setores, o que, segundo ele, é uma situação alarmante.

Durante a visita, houve a constatação por meio de documentos, que a equipe administrativa da UPA solicitou, no início deste mês, à Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Palmas, em caráter de urgência, a contratação de 26 técnicos em enfermagem e sete enfermeiros, porém a solicitação não foi atendida.

O Jornal do Tocantins teve acesso à escala prévia de técnicos de enfermagem de maio, há 315 plantões extras, falta de no mínimo 30 servidores técnicos para suprir a demanda.

Falta de insumos

Segundo o órgão, a vistoria apontou também a ausência de soros hospitalares específicos, como os tipos ringer e glicosado, havia disponibilidade na unidade apenas de soro fisiológico.

Na sala de emergência, havia ainda a falta de lençóis nas macas, tendo identificado que os acompanhantes precisam levar esses itens de suas residências para atender à necessidade dos pacientes.

Diante da situação, o promotor afirmou que marcará audiência com representantes da Semus para resolução das demandas apresentadas.

O que diz a Semus

Por meio de nota nesta sexta-feira, 18, a Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) informa que todas as licitações para aquisições de medicamentos foram finalizadas. As empresas fornecedoras começaram a realizar as entregas na última semana. Logo o estoque será reabastecido.

Sobre a contratação de novos servidores, a Semus explica que tramita a alteração da Lei Nº 1417, de 29 de dezembro de 2005, com objetivo de incorporar o provimento de mais profissionais no quadro da Saúde de Palmas.

Ainda conforme a nota, foi realizado um estudo sobre necessidade de recursos humanos para que seja dado provimento, após alteração da lei nos serviços da rede municipal de saúde.