Juliana Pires Pinto, 30 anos, morreu após se afogar em uma represa durante uma confraternização em uma chácara de Araguaína, Norte do Estado. O afogamento aconteceu neste domingo, 15, por volta das 18 horas, em um local chamado Chácara Zé Filho, na BR-230, conforme o Corpo de Bombeiros. 

A corporação informou que a profundidade da represa é 1,5 metros. A informação repassada aos bombeiros é que Juliana teria sido sugada por uma tubulação, que fica um pouco abaixo de onde ela estava tomando banho.

Ao ser acionada, uma equipe que se deslocava para o local passava as instruções de primeiros socorros por telefone. O resgate da vítima foi realizado pelos presentes na confraternização, que esvaziaram um pouco a represa. 

Juliana Pires teria voltado a respirar e foi levada ao Hospital Municipal de Araguatins usando aparelhos de oxigênio, mas antes de chegar à unidade hospitalar sofreu uma parada cardiorrespiratória. Os médicos tentaram reanimá-la, mas a mulher não resistiu.

Os bombeiros informaram que a represa não tem sinalização alertando os banhistas e não existe presença de guarda civil. 

Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a morte e fizeram homenagens.