Voluntários e ambientalistas que trabalham na remoção das manchas do óleo que chegam às praias brasileiras correm o risco de sofrer danos que vão além das irritações na pele, podendo comprometer órgãos como o fígado, os rins e os pulmões. O alerta, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), leva em conta que esse trabalho não tem sido realizado com os cuidad...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários