Dídimo Heleno

Ao julgar a Apelação Cível nº 0014295-88.2018.8.27.0000, a desembargadora Maysa Vendramini Rosal, da Corte Tocantinense, entendeu que o valor de 40 mil reais a título de dano moral e estético “encontra-se dentro dos padrões estabelecidos pelo Sodalício, até porque a perícia confirma que existem pequenas cicatrizes antigas de poucos milímetros (30 mm e…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar o Jornal do Tocantins

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários