Wilton Rodrigues Rosa foi denunciado na última segunda-feira, 22, pelo Ministério Público do Tocantins (MPTO) por suspeita de ter cometido feminicídio da ex-companheira, Elizânya dos Santos, ocorrido,  no dia 24 de fevereiro deste ano, na cidade de Araguaína.

Conforme a denúncia, Elizânya foi encontrada já sem vida por volta das 5h30, sobre sua cama, atingida por golpes de arma branca. Ao atender a ocorrência, a Polícia Militar (PM) conversou com Wilton, que também morava na mesma casa, e percebeu contradições na sua fala. Segundo o suspeito, a ex-esposa teria sido vítima de um assalto ocorrido à meia- noite, no entanto ele não teria conseguido acionar a polícia antes, devido à falta de sinal no telefone celular e problemas na sua moto.

Conforme o MPTO, o laudo pericial técnico no local verificou que a casa não possuía sinais de arrombamento. A denúncia ainda relatou que a polícia encontrou a arma do crime, com manchas de sangue, escondida no quintal.

Pelas condições do corpo da vítima, o laudo também concluiu que ela morreu às 5h da manhã e não à meia-noite, como declarado por Wilton.

Diante dos apontamentos, a denúncia criminal, assinada pelo promotor de Justiça Guilherme Cintra Deleuse, requer a pronúncia do homem para ser julgado pelo Tribunal do Júri, pelo crime de feminicídio, cometido por motivo fútil, com recurso que impossibilitou a defesa da vítima e em decorrência de violência doméstica e familiar.