Após a fuga de 18 presos da Cadeia Pública de Miranorte, a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) realizou vistoria e constatou como principais problemas da unidade a superlotação, a falta de efetivo e a falta de infraestrutura. O órgão também apresentou recomendação à Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça (Seciju), juntamente com um relatório que aponta u...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários