O coronel da Polícia Militar do Tocantins (PMTO) preso suspeito de integrar uma milícia no Maranhão foi identificado como Deroci Putencio de Sousa. Segundo o Portal de Transparência do Tocantins, o militar é da reserva e recebe o valor de R$ 37.643,96. Ele acabou preso durante uma operação da Polícia Civil do Maranhão na zona rural de Fernando Falcão (MA).

A PMTO informou, em nota à TV Anhanguera, que recebeu a notícia sobre a prisão do coronel e aguarda comunicação formal para se manifestar sobre o caso. Já a defesa disse que não irá se manifestar e que tem confiança na Justiça e na inocência dos envolvidos. (Veja as notas completas abaixo)

A ação aconteceu neste domingo (7), após denúncias de moradores da região. Segundo a polícia, um grupo armado que fazia a segurança de um fazendeiro, que supostamente estaria ameaçando a população causando prejuízo aos atuais moradores da região, que é alvo de uma disputa de terras.

Leia também:

Coronel da Polícia Militar do Tocantins é preso por atividade de milícia no interior do Maranhão
Gerente de negócios morre após carro capotar e sair da pista na BR-242

Dez pessoas foram presas em flagrante, incluindo policiais penais do Pará, um sargento da PM do Maranhão e o coronel da PM do Tocantins, que ainda teria resistido à prisão. Há outras pessoas do Tocantins entre os presos.

O delegado da Polícia Civil do Maranhão, Cleosnaldo Brito, informou à TV Anhanguera que os suspeitos faziam ameaças aos moradores para que fossem embora da região da propriedade rural.

"De início a gente não pode dizer que é uma estrutura do estado, porque seria muito prematuro. Mas sim eles utilizam um aparato de pessoas que detém porte funcional para fazer uma segurança. E lá na segurança eles estavam fazendo blitz, fazendo ameaça aos moradores e fazendo com que pessoas que estivessem lá na propriedade fugissem ou fossem embora. De certa forma truculência", contou.

Durante a operação foram apreendidas oito armas de fogo, uma grande quantidade de munições e aparelhos celulares. Os presos foram encaminhados à penitenciária de Fernando Falcão. O coronel foi transferido para o quartel de Barra do Corda (MA).

O que diz a PM do Tocantins

Referente à notícia sobre a prisão de um coronel da Reserva da Polícia Militar do Tocantins, ocorrida no estado do Maranhão, a Polícia Militar informa que tomou conhecimento do fato por meios extraoficiais e aguarda comunicação formal necessária das autoridades responsáveis para emitir manifestação mais adequada sobre o caso.

O que diz a defesa do Coronel

A defesa informa que não irá se manifestar neste momento, tendo em vista a necessidade de aprofundamento das investigações, todavia manifesta sua confiança na justiça e na inocência dos envolvidos, que será demonstrada durante o curso das investigações.