O cão que passa pelo tratamento com o medicamento liberado pelo Ministério da Saúde, o Milteforan, não oferece o mesmo risco de transmitir a leishmaniose para as pessoas, conforme explica a veterinária Ana Paula Lima. “Quando o animal é tratado ele praticamente não se torna portador porque diminui muito a quantidade de leishmania periférica nesse animal. Então, o mosqui...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários