A lavradora Eliene Medanha Roder, 43 anos, que mora em um assentamento em Formoso do Araguaia, descobriu, há cinco anos em um diagnóstico de rotina, que estava com câncer de mama. “Após a biópsia soube que era câncer e não tinha outro jeito a não ser tratar e passar pela quimioterapia. Tudo isso não deixa de ser um processo doloroso, porque caiu o meu cabelo e outras...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários