O Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público do Tocantins (MPTO) recomendaram ao órgãos de vigilância sanitária medidas mais rigorosas para minimizar possíveis contaminações pelo novo coronavírus, causador da Covid-19, através das pessoas que chegam ao estado através do Aeroporto Brigadeiro Lysias Rodrigues, em Palmas.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que última quarta-feira, 25, que já está em vigor a intensificação do controle sanitário de viajantes, com a ampliação da vigilância de casos suspeitos da Covid-19. Aumentou a fiscalização relativa aos procedimentos e frequência de limpeza e desinfecção de superfícies, banheiros, carrinhos e equipamentos, e ao uso de equipamentos de proteção individual (EPI) pelos profissionais que atuam no aeroporto.

Também haverá avisos sonoros com orientações sobre o coronavírus nos idiomas português, inglês, mandarim e espanhol, e cartazes explicativos sobre como o viajante deve se proteger e fazer a higienização correta.

Além dessas medidas, segundo o MPE, a Anvisa emitiu ofícios com orientações á Superintendência da Infraero e as empresas aéreas para que organizem as filas para o acesso à sala de embarque e check-in assegurando a distância mínima de um metro entre os passageiros.

A recomendação, proposta pelo procurador do Trabalho, Paulo Cezar Antun de Carvalho, e a promotora de Justiça Araína Cesárea Ferreira dos Santos D’Alessandro, e também para atenção à Rodoviária de Palmas, era destinada para atuação conjunta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria Estadual de Saúde (SES-TO) e Vigilância Sanitária do Tocantins, para medidas de combate à disseminação do novo coronavírus.