Para o Ministério Público Estadual (MPE) “não há razões para a reforma da sentença” que condena a Câmara Municipal de Palmas a readequar seu quadro de pessoal, atendendo a proporção de 50% de cargos comissionados e 50% de provimento efetivo. O parecer assinado pela procuradora de justiça, Jacqueline Borges Silva Tomaz, foi publicado nesta quinta-feira, 23, e responde a...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários