A decisão da desembargadora Ângela Prudente, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO), de determinar a devolução ao Governo do Estado dos documentos aprendidos durante operações policiais em órgãos do Executivo mostra que a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) que apura a suspeita de abuso de poder político e econômico do governador Mauro Carlesse (PHS) e seu vic...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários