Sem acordo, os vereadores de oposição não colocaram os projetos de lei, de autoria do prefeito Carlos Amastha (PSB), para votar na Comissão de Finanças e logo não foi para votação no plenário. Os projetos mais polêmicos propunham alterações na legislação que causariam aumento de até 36,36% no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), 42% na taxa de iluminação públ...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários