Réu numa ação criminal denunciado por participar de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro de emendas parlamentares, repassado do Poder Executivo estadual para o Instituto Prosperar – Cultura, Sociedade, Meio Ambiente e Desenvolvimento (Ipros), depois transferidos à empresa de fachada GM Locações, da qual é apontado como operador, o contador João Paulo Silveira não quer mais…

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários