O presidente do Tribunal de Justiça (TJTO) desembargador Helvécio de Brito Maia Neto não conheceu do pedido do governo estadual para derrubar liminar concedida dia 26 de abril pelo juiz Roniclay Alves de Morais, da 2ª Vara da Fazenda e Registros Públicos de Palmas, que determina a suspensão do contrato de R$ 25,4 milhões, firmado entre o Estado do Tocantins e o restaurante Bom Paladar (E. M.…

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários