Lailton Costa

Acionado na Justiça Estadual pelo sobrinho do governador, o secretário extraordinário de Parcerias Público Privada, Claudinei Quaresemim, e pelo presidente do Plansaúde, Ineijaim Siqueira, para provar as denúncias de propina no órgão ou se retratar do que disse em áudio que viralizou, o médico Luciano de Castro Teixeira, o Dr Luciano Castro (PSDB), tem uma notícia alvissareira da Justiça Eleitoral na semana.  Por unanimidade, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aprovou as contas prestadas por ele de sua candidatura a deputado federal nas eleições de 2018. Suplente, ele conseguiu 2.316 votos.

Noves fora, R$ 7,50

Segundo a relatora, a juíza Ana Paula Brandão Brasil, Luciano Castro declarou a arrecadação de R$ 79.152,24 entre recursos privados (R$12.4 mil) e públicos (R$ 66.6 mil)  e gastou R$ 79.144,74. Na prova dos noves, o suplente tem sobra de campanha de R$ 7,50. Cada um dos 2.316 votos lhe custou R$ 34,17.

Não encontrado

Por falar no médico, nesta quinta-feira, 29, um oficial de Justiça o procurou no condomínio Aldeia do Sol, no centro de Palmas, para notificá-lo da determinação para comprovar o que disse ou se retratar. Mas não o encontrou. Segundo a certidão do oficial, a recepção do local chegou a ligar para o médico e ouviu dele que está em viagem interestadual, sem data certa para retorno. O oficial devolveu o mandado.

Super gabinete

A Secretaria da Comunicação da prefeitura de Palmas deve mudar de endereço. O Paço mira um prédio nas proximidades do restaurante Seara para abrigar o setor que deixará o edifício do anexo administrativo, na JK.  Ao se efetivar a mudança, o 8º andar do local será ocupado integralmente pelo gabinete da prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB).

Cancelamento a pedido

A Secretaria da Comunicação da capital cancelou uma licitação, do tipo pregão eletrônico marcado para a quinta, 29, às 14 horas, para contratar impressão da identidade visual do município em adesivos, banners, lonas, placas, entre outros, no valor de R$ 3,5 milhões. O cancelamento ocorreu após pedido da titular da pasta, Déborah Lôbo. 

Só a PRO 2 enviara

O pedido da secretária ocorreu um dia apos o processo ter recebido propostas de uma só empresa, a Pro 2 Eventos para os 38 itens do edital, enviadas dia 20 de agosto. Segundo anotou o pregoeiro ao cancelar o edital, ontem, no horário da sessão, o processo será refeito e mudará de pregão eletrônico para presencial.

Vistoria e assertividade

Segundo a secretária anotou no ofício, o serviço exige vistoria que deve ser feita pessoalmente, para tomada de medias, e para evitar marcação errada ou reimpressão ou retrabalho que possam onerar o contrato. Nesse caso, um fornecedor remoto "teria maior dificuldade de assertividade nessas situações".

Nova cobrança de dívida de campanha de Márlon Reis

Lailton Costa

Candidato ao governo em 2018, Márlon Reis ainda não teve contas julgadas no TRE por imbróglio sobre contrato de mídia (Foto: Divulgação)

O ex-juiz e candidato derrotado ao governo do Tocantins na Eleição Suplementar e nas Eleições Gerais de 2018, Márlon Reis (Rede) acaba de se tornar alvo de uma nova ação da empresa E.C.V. de Alencar, após ter ação idêntica cobrando do político o pagamento de R$ 610.152,98 de dívidas da campanha de 2018 arquivada no juizado especial.

Com Agenor, na 1ª Cível 

Agora, a ação ajuizada na segunda-feira corre na 1ª Vara Cível de Palmas, com o juiz Agenor Alexandre da Silva, que atuava no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) até junho desse ano. Dessa vez, a empresa juntou ao processo a prestação de contas do candidato na Justiça Eleitoral – ainda sem julgamento. O juiz já despachou e disse que vai marcar audiência de auto composição, ainda sem data.

Empresa também vai ao TRE

A empresa E.C.V. de Alencar também abriu outra frente para tentar receber do pai da ficha limpa: peticionou no TRE no processo de julgamento das contas do candidato como terceiro interessado. Um dos documentos é o contrato para o serviço de marketing, de onde resta a dívida cobrada.

Médico do Samu vence eleição para CFM

Lailton Costa

O médico do Samu de Palmas Estevam Rivello (de azul) elegeu-se para o cargo de conselheiro federal efetivo do Conselho Federal de Medicina (CFM). Seu suplente é o médico Tomé Cesar Rabelo e concorriam pela “Chapa 02 - Renovar para Mudar” em oposição à chapa encabeçada pelo médico Nemésio Tomasella, que disputava a reeleição. (Foto: CRM-TO/divulgação)

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários