Desde o dia 29 de outubro, a Procuradoria do Estado deu seu ciente e não recorreu contra a sentença do juiz Frederico Paiva Bandeira de Souza que condena o Estado do Tocantins não mais reter os valores referentes ao IRRF, na folha de pagamento do presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins, desembargador Helvécio Maia.  

Se o Estado descontar o imposto de renda, a multa…

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários