O corregedor-geral da Segurança Pública Wanderson Chaves de Queiroz prorrogou por mais 60 dias o afastamento de cinco delegados, três agentes e um escrivão da Polícia Civil alvos das investigações da Operação Éris. Na operação, a Polícia Federal apurou o aparelhamento da estrutura da pasta da segurança para blindar o ex-governador Mauro Carlesse (Agir) e aliados contra investigações de atos…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar o Jornal do Tocantins

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários