Os servidores do Ministério Público do Tocantins (MPTO) ganharam novo fôlego para protestar contra o que eles consideram “abismo” – entre o tratamento dado pela gestão do Procurador Geral de Justiça José Omar de Almeida Júnior às reivindicações deles em relação às dos membros – após o “climão” que o procurador Ricardo…

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários